A casa velha vai ser derrubada aos poucos.


Diante de um cenário político ainda não definido para as eleições gerais desse ano de 2018 estamos presenciando um possível acontecimento que poderá abrir o caminho para a nossa tão sonhada restauração imperial. Realmente a possibilidade do Príncipe Luiz Phillipe Orleans e Bragança ser vice presidente na chapa do candidato Jair Bolsonaro já é fato e caso Sua Alteza aceite poderá mudar aos poucos todo um cenário decadente dos últimos 129 anos do sistema republicano, que por sinal já não funciona mais. Lembrando que Luiz Phillipe não faz parte da Dinastia real conforme seus tios do Ramo de Vassouras.
Essa situação tão repentina faz lembrar de que tudo tem a sua hora certa e sem lamentos do passado de não lembrar por exemplo a derrota da monarquia no pseudo plebiscito de 1993. Época na qual não tinha internet no Brasil, a informação era escassa, a república por meios de manobras impediu através do STF a apresentação dos príncipes na televisão e antecipou esse plebiscito para 21 de Abril e não para Outubro conforme já estava confirmado. E sabemos do resultado. Mas como tudo na vida tem a lei do retorno a casa republicana começou a apodrecer até chegar no ponto do caos generalizado por justamente não funcionar mais.  Por outro lado foi até bom a “derrota” da monarquia em 1993, pois, caso ganhasse não iria se adaptar a uma Constituição centralizadora, anacrônica, com muitos direitos e poucos deveres, remendada, mal acabada, mal interpretada e entre outras aberrações.
Um outro fato para a vitória dessa casa velha e podre republicana era o fato da maioria das pessoas em acreditar na “nova república” recém instalada depois do regime militar e pela ausência de informações sobre o sistema monárquico.
Agora a situação se inverteu de uma forma impressionante, vejamos.
  • Grande parte da população repudia a república;
  • A república não funciona mais;
  • As instituições não se entendem;
  • A justiça é desacreditada;
  • Os três poderes se corromperam;
  • A constituição já não serve mais para nada;
  • A impunidade é incentivada pela própria alta corte de justiça ao soltar os presos da Lava Jato;
  • A inversão de valores toma conta de todo o país;
  • O respeito pela coisa pública já não existe e
  • O ódio entre pessoas extremistas tanto de direita quanto de esquerda aumentam a cada dia com ameaças e até mesmo com luta corpo a corpo em muitos protestos pelo país.
Portanto, com a possível vitória do candidato Jair Bolsonaro, tendo como vice Luiz Phillipe Orleans e Bragança em sua chapa e com a vitória de deputados e senadores monarquistas e simpatizantes na causa monárquica a casa velha será demolida aos poucos com a proposta de uma nova constituição aos moldes do verdadeiro federalismo dando aos Estados criarem suas próprias leis, a adoção do voto distrital, descentralização toda uma estrutura de arrecadação de impostos ( os Estados e os municípios cuidariam de suas arrecadações), reforma fiscal justa, privatizações de todas as estatais como PETROBRÁS, CORREIOS e tantas outras, e finalmente a proposta para um novo plebiscito justo para que o povo escolha a volta da monarquia para o Brasil.

Observação-  Para se construir uma Nova Casa é demolir a casa podre, limpar o terreno, construir os alicerces e com o tempo já erguendo toda uma estrutura forte.

Luis Marins é Diretor Geral do JIN ( Jornal Império News )

Fonte: Império News

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.