PIAUÍ – Governo Wellington e o Emparelhamento do Estado


O governador Wellington Dias (PT) encaminhou à Assembleia dos deputados uma proposta de reforma administrativa para contenção de gastos. A tramitação do projeto deve estender-se por cerca de 30 dias e deverá ser aprovada pelo legislativo, uma vez que a base aliada é maioria.
         O emparelhamento e inchaço da máquina pública é a forma petista de governar e no Piauí não foi diferente, agora a conta chegou e obviamente quem perde com isso é o povo piauiense que terá nos próximos anos a repercussão dessas alterações.
         Na prática a reforma proposta pelo governador desagradou inclusive aliados, pois se trata de corte de 19 órgãos do estado e 11 coordenadorias, bem como diminuição de 2.300 cargos, dentre outras medidas como exoneração de terceirizados que perderão seus empregos. O governador ainda afirmou que não haverá reajuste para professores, pois segundo ele, os mesmos possuem atualmente salário maior que o piso nacional estabelecido.
         Com base na proposta do Governador, a reforma será a incorporação das pastas a outros órgãos existentes baseado no modelo adotado pelo presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) visando economia para cumprir a lei de responsabilidade fiscal e contenção de rombos no orçamento.
         Nos bastidores comenta-se que a intenção do PT é que o governador deixe o palácio de Karnak para disputar eleições daqui a 2 anos, deixando a vice-governadora Regina Sousa (PT) no poder para evitar que Wellington sofra desgaste de fim de mandato.  
Dr. Marconi Brandão
     Fisioterapeuta
CREFITO-14 / 245869-F

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.